Santos Juninos

Prezados amigos,

Na nossa cidade do Rio de Janeiro e mesmo em todo nosso país, o mês de junho é marcado pelas chamadas festas juninas, com uma série de características próprias tão tradicionais na nossa cultura, tanto religiosa quanto popular. Isto se deve, sobretudo, a três celebrações que a liturgia nos apresenta.

No dia 13 temos a memória de Santo Antônio, Presbítero e Doutor da Igreja. Nascido em Lisboa, foi frade agostiniano e depois franciscano. Destacou-se pela eloquência, cultura teológica e espiritualidade. É um dos santos mais conhecidos e venerados em todo o mundo. Morreu em Pádua, Itália, onde se encontra uma Basílica a ele dedicada, centro de grandes peregrinações.

No dia 24 a Igreja celebra a solenidade da Natividade de São João Batista, o único, além da Virgem Maria, de quem, além do nascimento para a vida eterna, também se celebra o nascimento para a vida temporal. Este santo pertence ao antigo e ao novo Testamento. É considerado o maior entre os profetas porque foi o único que apontou o Messias: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Ele é o precursor do Senhor, tanto por preparar seus caminhos, por batizar o próprio autor do Batismo, quanto pelo derramamento de seu sangue como o Cristo.

Mais para o fim do mês, no dia 29 ou no domingo que lhe segue, a Igreja volta seu olhar para os Apóstolos São Pedro e São Paulo, colunas deste edifício espiritual. Pedro foi aquele a quem Jesus constituiu seu Vigário na terra e a quem entregou as chaves do Reino dos céus: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja … tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus” (Mt 16, 18-19). Como chefe do Colégio Apostólico recebeu do próprio Senhor a missão de guardar a unidade e a comunhão entre os irmãos e a de confirmá-los na fé. Paulo foi aquele que de perseguidor da Igreja passou a ser o seu maior missionário. Chamado Apóstolo das nações, anunciou incansavelmente o Evangelho da salvação, fazendo muitas viagens e fundando inúmeras comunidades. Ambos testemunharam o Senhor com a própria vida e como diz uma bela oração chegaram gloriosamente à pátria celeste, um pela cruz e outro pela espada.

Espero que a participação nas festas juninas seja uma feliz oportunidade para aprofundar o seguimento de Cristo que Santo Antônio, São João Batista, São Pedro e São Paulo testemunharam tão grandemente com suas vidas.

A todos meu abraço e minha bênção.

Monsenhor Helio Pacheco Filho